O que são geoparques?

Tempo de leitura: 3 min

Escrito por Carlos Meira
em julho 8, 2022

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

100% livre de spam.

Você está planejando as suas próximas férias? Veja o que são os geoparques e por que esse lugar deve estar na sua lista de lugares incríveis para conhecer!

Quem adora viajar para ter um contato mais intenso com a natureza sabe que existem diversos lugares interessantes para conhecer, muitos dos quais precisam ser protegidos por iniciativas públicas nacionais e internacionais.

Um exemplo disso são os geoparques, que podem ser considerados como uma solução importante de conservação de áreas relevantes. A proposta dessas soluções é que, em tais áreas, sejam desenvolvidas atividades educacionais e turísticas que sejam responsáveis com todo o bioma e as populações que vivem neste território. 

Por isso, se você está programando a sua próxima viagem para algum parque, veja mais sobre os geoparques e por que eles merecem a sua atenção na hora de viajar com a família ou amigos!

O que são geoparques?

Geoparques são áreas territoriais contendo um enorme notável patrimônio geológico (regional, nacional ou internacional) e apresenta limites bem definidos, além de uma estratégia de desenvolvimento responsável. 

Um geoparque também deve desenvolver iniciativas para educar os visitantes sobre os valores ecológicos, históricos, arqueológicos e culturais, enquanto protege essa área e utiliza o turismo como o principal meio para incentivar as atividades econômicas envolvendo a comunidade local. Na prática, o objetivo dos geoparques é apoiar o desenvolvimento regional do ponto de vista ambiental, social e econômico, principalmente a partir do geoturismo.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura  (UNESCO) é a entidade que promove o programa internacional de geoparques desde 2016. Essa iniciativa surgiu em um momento em que os geoparques europeus estavam em crise — ou seja, não eram protegidos nem cuidados de forma responsável. 

Segundo a UNESCO, para ser considerado um geoparque, essa área deve necessariamente envolver a participação de vários atores sociais: desde órgãos governamentais até entidades sociais, instituições de ensino e organizações do setor privado.

Nesse momento, as autoridades e a comunidade científica também passaram a reconhecer a necessidade de envolvimento e participação das comunidades locais que vivem nestes geoparques para que essa proteção fosse garantida de modo duradouro. 

Geoparques no Brasil

Hoje, a Rede Global de Geoparques da UNESCO possui 161 geoparques registrados e localizados em 44 países. Até 2022, o único representante brasileiro desta rede era o Geopark Araripe, localizado no interior do Ceará (na cidade de Crato) e que se destaca pela impressionante variedade e qualidade de fósseis que possui. 

No site deste geoparque, há descrições completas sobre as atividades realizadas na área — desde educação ambiental até a indicação de todos os geossítios existentes na região e sugestão de roteiros de passeio, guias e agências que podem ser contratadas com segurança.

Em abril de 2022, a UNESCO aprovou a nomeação de oito novos Geoparques Globais, ampliando a comunidade para 46 países e incluindo mais dois representantes brasileiros na lista: os Cânions do Sul, no sul do Brasil com  2.830,8 km², e a região de Seridó, no semiárido nordestino com área de 2.800 km².

No Brasil, a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais — Serviço Geológico do Brasil — é uma empresa pública vinculada ao Ministério de Minas e Energia que apoia o desenvolvimento de projetos para a constituição de geoparques no país.

Vale pontuar que a caatinga é o único bioma exclusivamente brasileiro — ou seja, a sua biodiversidade não pode ser encontrada em nenhum outro lugar do planeta. A caatinga possui 600 milhões de anos de história e abriga uma das maiores áreas de mineralização de scheelita da América do Sul, além de basalto decorrentes de atividades vulcânicas em diferentes eras geológicas.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

100% livre de spam.